segunda-feira, 25 de maio de 2009

RESPEITO

DEVE-SE, TENDE-SE, HÁ DE SE, RESPEITAR TODO MUNDO, EM TODO LUGAR, EM TODA CIRCUNSTÂNCIA, EM TODO O TEMPO.
RESPEITO.
ESSA É A PALAVRA, ESSE É O SENTIDO REAL DAS COISAS. E OLHA, SEMPRE QUE QUIS ME SOBRESSAIR, QUE QUIS ME IMPOR, QUE RI DE ALGO DEFENDIDO POR ALGUÉM, QUE RIDICULARIZEI UMA POSIÇÃO TOMADA A RESPEITO DE QUALQUER COISA QUE NÃO FOSSE MÁ POR SÍ MESMA, QUE FOSSE OPINIÃO SÓ, SEJA RELIGIOSA, SEXUAL OU POLÍTICA, ME TORNEI UM GRANDE BABACA.
"ACHAR" É LINDO, É O QUE NOS FAZ GRANDES, MATAMOS, MENTIMOS, ESTUPRAMOS, MAS "ACHAMOS" E ISSO VALE POR MUITO MAIS QUE SUPONHAMOS.
RELIGIOSOS, SOCIALISTAS, VEADOS, FLAMENGUISTAS, ATEUS, CREUS, FÂS DE AMADO BATISTA, APRESENTADOR DE PROGRAMAS DE TV, CAPITALISTAS, ENFIM, A TODOS OS QUE CRÊEM EM ALGO QUE ME FOGE A PERCEPÇÃO DE FAZER SENTIDO, UM ABRAÇO, E MINHAS DESCULPAS.
MOACY CIRNE, UM CARA QUE PERDE TEMPO DEBATENDO CINEMA COMIGO, UM SER QUE ASSISTE UM FILME A CADA MEIO SÉCULO (E OLHE QUE SÓ TENHO 33 ANOS), VAI MEU ABRAÇO, COMO NA MÚSICA DO MACIEL MELO, ELE É SOCIALISTA, EU O ADMIRO, MAS ESTENDO O ABRAÇO A TODOS OS SOCIALISTAS QUE NÃO ADMIRO.
AOS RELIGIOSOS, DE QUALQUER CRENÇA, DE QUALQUER VISÃO DE DEUS, SEGUIDORES DE UM DEUS BOM, VAI UM ABRAÇO.
AS MULHERES, AOS VEADOS (SEM VIAIDICE, CLARO), A MUITOS OUTROS, TODOS, E TANTOS QUANTOS, SUAS OPINIÕES SEJAM SINCERAS E NÃO PREJUDIQUEM O SEU IRMÃO.
ENTÃO DEIXO UM POEMA DE JOÃO CABRAL, DEDICO À MOACY (CABRAL AUTORIZA).
O POEMA SE CHAMA "O NÚMERO QUATRO", E NÃO TEM RIGOROSAMENTE NADA A VER COM O QUE ESCREVI ACIMA, MAS JUÍZO NUNCA FOI MEU FORTE.
BEIJOS PARA MIRSE, QUE AMOU O POEMA, E É AMADA POR MIM.
BEIJOS PARA YARA, YARETE, FOFURETE. PARA ELAINE JACKIELLE, E SIDERLI, AMBAS ENFERMEIRAS, AMBAS QUERIDAS.



O Número Quatro !!


O número quatro feito coisa
ou a coisa pelo quatro quadrado.
seja espaço , quadrúpede, mesa.
está racional em suas patas.
está plantada , à margem e acima
de tudo o que tentar abalá-la ,
imóvel ao vento , terremotos .
no mar maré ou no mar ressaca .
Sò o tempo que ama o ímpar instável
pode contra essa coisa ao passá-la :maas a roda ,
criatura do tempo .
é uma coisa em quatro , desgastada .


João Cabral de Melo Neto

2 comentários:

Mirse disse...

Essa postagem está linda!

Porque abraça e é no abraço que partilhamos e compartilhamos nossa amizade e sentimentos.

Moacy merece, por se dedicar de forma integral às artes.
E na arte, não importa o partido ou a crença, como você destacou.
Ele realmente está à frente do tempo.

Agradeço meu nome está na dedicatória, mas agradeço mais ainda o poema escolhido.

Um poema de João Cabral, e esse em especial é uma jóia rara.

E a nós que o acompanhamos, sermos agraciados com essa pérola:
"O número Quatro", acredito que ficaremos mais plenos e melhores como pessoa.

Obrigada!

Beijos

Mirse

YaRa disse...

Há muito de belo em você...e mais belos a cada dia tua alma e teu coração....Muito lindo teu texto....só não gostei tanto dele quanto gosta de você....por quue issso é quase o impossivel.....


Beijosss