sexta-feira, 21 de novembro de 2008

CABRAL PARA MIRSE.




JOÃO CABRAL DE MELO NETO




O RELÓGIO




1.

Ao redor da vida do homem
há certas caixas de vidro,
dentro das quais, como em jaula,
se ouve palpitar um bicho.

Se são jaulas não é certo;
mais perto estão das gaiolas
ao menos, pelo tamanho
e quadradiço de forma.

Uma vezes, tais gaiolas
vão penduradas nos muros;
outras vezes, mais privadas,
vão num bolso, num dos pulsos.

Mas onde esteja: a gaiola
será de pássaro ou pássara:
é alada a palpitação,
a saltação que ela guarda;

e de pássaro cantor,
não pássaro de plumagem:
pois delas se emite um canto
de uma tal continuidade

que continua cantando
se deixa de ouvi-lo a gente:
como a gente às vezes canta
para sentir-se existente.


2.

O que eles cantam, se pássaros,
é diferente de todos:
cantam numa linha baixa,
com voz de pássaro rouco;

desconhecem as variantes
e o estilo numeroso
dos pássaros que sabemos,
estejam presos ou soltos;

têm sempre o mesmo compasso
horizontal e monótono,
e nunca, em nenhum momento,
variam de repertório:

dir-se-ia que não importa
a nenhum ser escutado.
Assim, que não são artistas
nem artesãos, mas operários

para quem tudo o que cantam
é simplesmente trabalho,
trabalho rotina, em série,
impessoal, não assinado,

de operário que executa
seu martelo regular
proibido (ou sem querer)
do mínimo variar.

3.

A mão daquele martelo
nunca muda de compasso.
Mas tão igual sem fadiga,
mal deve ser de operário;

ela é por demais precisa
para não ser mão de máquina,
a máquina independente
de operação operária.

De máquina, mas movida
por uma força qualquer
que a move passando nela,
regular, sem decrescer:

quem sabe se algum monjolo
ou antiga roda de água
que vai rodando, passiva,
graçar a um fluido que a passa;

que fluido é ninguém vê:
da água não mostra os senões:
além de igual, é contínuo,
sem marés, sem estações.

E porque tampouco cabe,
por isso, pensar que é o vento,
há de ser um outro fluido
que a move: quem sabe, o tempo.

4.

Quando por algum motivo
a roda de água se rompe,
outra máquina se escuta:
agora, de dentro do homem;

outra máquina de dentro,
imediata, a reveza,
soando nas veias, no fundo
de poça no corpo, imersa.

Então se sente que o som
da máquina, ora interior,
nada possui de passivo,
de roda de água: é motor;

se descobre nele o afogo
de quem, ao fazer, se esforça,
e que êle, dentro, afinal,
revela vontade própria,

incapaz, agora, dentro,
de ainda disfarçar que nasce
daquela bomba motor
(coração, noutra linguagem)

que, sem nenhum coração,
vive a esgotar, gôta a gôta,
o que o homem, de reserva,
possa ter na íntima poça.

domingo, 16 de novembro de 2008

FLOR É FLOR, SE O PARECE A QUEM O DIGA

AS IMAGENS DO QUE VIMOS COM NOSSOS OLHOS SÃO IMAGENS QUE PRESCINDEM DA PALAVRA, AS IMAGENS "CONTADAS", NOS SÃO VEROSSÍMEIS OU NÃO DE ACORDO COM A ELOQÜÊNCIA DO QUE CONTA, OU DE QUEM CONTA. AS IMAGENS NOS MOSTRADAS PELOS POETAS SÃO AINDA MAIS DIFÍCEIS DE SEREM REVELADAS, E PARA SEREM BELAS, TEM DE SER NOVAS, SURPREENDENTES, INESPERADAS, COM UMA CORRETA HARMONIA ENTRE O REAL-ABSURDO, E O ABSURDO-REAL.
É SIMPLES, PEGUE O POEMA, O TÍTULO DESSE POEMA, E PERCEBA QUE IMAGEM NÃO É UM SER, NÃO TEM VIDA, ENTÃO COMO RESPIRA? ATRAVÉS DA PENA DO POETA, DO BOM POETA, QUE LHES DÁ HUMANIDADE E PULMÕES, NÃO REAIS, CLARO, MAS AINDA ASSIM PULSANTES COMO UM CORAÇÃO. ENTÃO POESIA É ISSO. DAR CORAÇÃO AO MINERAL, DAR PULMÃO A UMA IMAGEM, OS QUE NÃO SABEM FAZER ISSO, SAIAM DO CAMINHO, DEIXE O POETA PASSAR, ELE SABE.

E MISTURANDO UMA COISA COM OUTRA QUE NÃO TEM NADA A VER, COLOCO AQUI UMA FRASE DE MARCELO DE OUTRO POEMA, A FRASE É:

"PARA ISSO QUE SERVEM OS OLHOS, PARA VER O ROSTO DE QUEM PEGA NA ALÇA DO CAIXÃO PATERNO"



CREIO QUE A FRASE NÃO É ESTA, FALTA UMA OU DUAS PALAVRAS, MAS MESMO TENDO SIDO ALEIJADA POR MIM, ESSA FRASE, SOMENTE ESSA FRASE, COLOCA MARCELO NOVAES, ACIMA, MUITO ACIMA, DE QUALQUER ESCRITOR DE POESIA ESCRITA HOJE NO BRASIL.
FRASES COMO ESTÁ NÃO OCORREM AO ACASO, NÃO É "FALSA POESIA" O TERMO MAIS IDIOTA QUE FOI CONCEBIDO PARA DESIGNAR UMA COISA QUE NÃO EXISTE.
POESIA NÃO É DITADA POR NINGUÉM, NEM CHEGA A SER UMA COISA RESTRITA A POETAS, NEM A LIVROS, MUITO MENOS A CRÍTICOS PRESUNÇOSOS, POESIA É INERENTE AO AMOR QUE TEMOS AO BELO, AO PRINCÍPIO DE UMA BELO SUPERIOR, COM O QUAL COMPARAMOS O BELO TERRESTRE, COMO AFIRMOU PLATÃO.
A CRÍTICA, PRESUNÇOSA E IDIOTA QUE ACHA POSSÍVEL SIMULAR POESIA, DIGO: A POESIA VIVIDA É MAIS POESIA QUE A PRÓPRIA POESIA, UM BEIJO DE UM FILHO, UM LUAR, O MAR, TUDO É MAIS POESIA QUE PODE A MAIOR POETA DO MUNDO.
DEIXO PARA OS IMBECIS, PARA VER SE TOMAM JUÍZO, UM CONSELHO DE JOÃO CABRAL DE MELO NETO, POETA QUE OS GRANDES GÊNIOS DE NOSSA CRÍTICA LITERÁRIA QUALIFICARAM COMO “CEREBRAL”, “FRIO”, “SEM EMOÇÃO”. JOÃO NÃO ERA UM POETA “FRIO” NEM CONTRA A EMOÇÃO, AO CONTRÁRIO, NENHUM POETA FAZ VOCÊ SE COMOVER TANTO COMO JOÃO, ELE FALA DE DORES E SOFRERES DE GENTE QUE O LEITOR NUNCA VIU, NEM IMAGINA COMO SEJA, E AS FAZ CHORAR. O RIGOR DO MESTRE PERNAMBUCANO ERA COM A PARTE FORMAL DO POEMA, SUA ESCRITA, NÃO COM O SENTIMENTO.
NO “O FERRAGEIRO DE CARMONA”, ELE DIZ QUE UM FERRAGEIRO LHE DÁ UM CONSELHO( O FERRAGEIRO ERA ELE PRÓPRIO) BOM SE ME PERMITE, MARCELO, OCUPAR TUA PÁGINA, COLOCO O POEMA TODO.

O FERRAGEIRO DE CARMONA

João Cabral de Melo Neto

Um ferrageiro de Carmona,
que me informava de um balcão:
"Aquilo? É de ferro fundido,
foi a forma que fez, não a mão.

Só trabalho em ferro forjado
que é quando se trabalha ferro
então, corpo a corpo com ele,
domo-o, dobro-o, até o onde quero.

O ferro fundido é sem luta
é só derramá-lo na forma.
Não há nele a queda de braço
e o cara a cara de uma forja.

Existe a grande diferença
do ferro forjado ao fundido:
é uma distância tão enorme
que não pode medir-se a gritos.

Conhece a Giralda, em Sevilha?
De certo subiu lá em cima.
Reparou nas flores de ferro
dos quatro jarros das esquinas?

Pois aquilo é ferro forjado.
Flores criadas numa outra língua.
Nada têm das flores de forma,
moldadas pelas das campinas.

Dou-lhe aqui humilde receita,
Ao senhor que dizem ser poeta:
O ferro não deve fundir-se
nem deve a voz ter diarréia.

Forjar: domar o ferro à força,
Não até uma flor já sabida,
Mas ao que pode até ser flor
Se flor parece a quem o diga.




“NÃO DEVE A VOZ TER DIARRÉIA”

QUE FIQUE CLARO, NÃO DEVE “A VOZ” , OU A ESCRITA, TER DIARRÉIA, SER SENTIMENTAL EM EXCESSO, LACRIMOSA.

E POR FIM:

“NÃO ATÉ UMA FLOR JÁ SABIDA”, (A MANEIRA MAIS FÁCIL DE SE ESCREVER POESIA, A QUAL MARCELO NOVAES VAI DE ENCONTRO, CONTRARIANDO OS MELINDRES DAS ALMAS “SENSÍVEIS” , EMBORA MENOS TALENTOSAS, MUITO MENOS) CABRAL ENSINOU O QUE SABIA, POESIA E A MANEIRA DE FAZER A COISA.OS QUE NÃO TEM O QUE FALAR INVENTAM COISAS COMO “SIMULAR POESIA”, TERMINO COM O MESTRE:

“SE FLOR PARECE A QUEM DIGA”, QUE É POR MIM ASSIM TRADUZIDO: POESIA É UM ESTADO MAIS QUE UM CONCEITO, CABRAL GOSTAVA DE CANTADORES DE REPENTE, VIOLEIROS, E COM INFLUÊNCIA DESSA GENTE, ERIGIU O SEU PEDESTAL, ESSES CRÍTICOS QUE NÃO ESCREVEM NADA QUE PRESTE, DESPREZARIAM UM IVANILDO VILANOVA, UM OLIVEIRA DE PANELAS, UM SEBASTIÃO SILVA, PORQUE PARA ELES POESIA É UMA COISA QUE EXIGE UM COMPORTAMENTO CIVILIZATÓRIO- ASSÉPTICO- USP, UM ESTAR BEM VESTIDO, UM CORTE CERTO DE CABELO, UMA BARBA BEM FEITA, E DE PREFERÊNCIA UM CARA QUE SE DIGA FÂ DE UM ESCRITOR DE ALGUM PAÍS EUROPEU, MORTO A 360 ANOS E QUE ERA SUPERIOR A SHAKESPEARE, MAS QUE FOI INJUSTAMENTE OFUSCADO PELO BARDO DE STRATFORD. ENFIM, UM POETA DE SEUS PARES, DE SUA TCHURMA(TCHURMA MESMO), COMO NÃO PARIRAM NENHUM AINDA, REJEITAM NOVAES, IGNORAN-NO, MESMO QUE LEIAM OBRAS-PRIMAS DELE, E AS HÁ , E SÃO MUITAS.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O VASCO É O TIME DO AMOR

O VASCO NÃO VAI CAIR, O VASCO É O PRIMEIRO TIME BRASILEIRO QUE ACEITOU PRETOS, O VASCO TEM UM CÂNTICO DAS SUAS TORCIDAS QUE O AMAM QUE DIZ QUE O VASCO É O TIME DA VIRADA, O VASCO É O TIME DO AMOR. SÓ POR ISSO JÁ NÃO MERECERIA A QUEDA.
NELSON RODRIGUES ESCREVEU EM UMA DE SUAS CRÔNICAS, QUE HAVIA UM TORCEDOR VASCAÍNO QUE OLHAVA AO LONGE E DIZIA: "O VASCO, AH, O VASCO!".
ESTÁ TUDO DITO AI, NESSA FRASE, NESSE AMOR.
QUANDO EU ERA PEQUENO, MEU PAI E EU FAZÍAMOS PARTE DE TORCIDA ORGANIZADA DO VASCO, ÍAMOS A ESTÁDIOS, NÃO SEI SE FORAM TANTAS VEZES COMO EU ACHO QUE FOI, CREIO QUE NÃO, MAS FOI. FOI, É, SERÁ. O VASCO ESTÁ ENTRANHADO EM MIM, IMPREGNOU TUDO.
O VASCO NÃO VAI CAIR. PORQUE NENHUM TIME, MODISMO, FRASE, IDÉIA, PODE DERRUBAR O VASCO. SE FOR PARA A SEGUNDA DIVISÃO, COISA QUE DUVIDO, SERÁ O VASCO, AINDA ASSIM E SEMPRE O VASCO. ONDE CHEGAR LEVARÁ CONSIGO SUA CRUZ, SEU RESPEITO, SUA FEBRE, SUA DOR, SEU RENITENTE E INSUPERÁVEL HINO, SERÁ O VASCO DA GAMA. SEMPRE SERÁ RESPEITADO, ONDE FOR, ONDE ESTIVER. OS FLAMENGUISTAS QUE ZOMBAREM DO VASCO, FARÃO POR FORA, PARA OS OUTROS, PORQUE SABEM QUE AINDA QUE FOSSE EM UM JOGO DOS MELHORES JOGADORES DO MUNDO, VESTINDO A CAMISA FLAMENGUISTA, E OS PIORES USANDO A VASCAÍNA, AINDA ASSIM, E TALVEZ AINDA MAIS POR ISSO, HAVERIA O QUE TEMER.
O VASCO É E SEMPRE SERÁ TEMIDO, AMADO PELOS SEUS, INVEJADO E ODIADO PELOS OUTROS.
NO GRAMADO, DEPOIS DOS JOGOS, DAS BATALHAS INFERNAIS, DAS CONTENDAS HOMÉRICAS, A NOITE, QUANDO O MARACANÃ É SÓ SILÊNCIO, OS DEUSES (ELES EXISTEM MESMO)DO FUTEBOL, SE REÚNEM PARA PUNIR O VASCO, OS PROMOTORES(FLAMENGUISTAS) DIZEM QUE ELE DEVE SER PUNIDO. POR OUTRO LADO, OS ADVOGADOS DO VASCO, DIZEM QUE O CULPADO NÃO É O TIME, É O CANALHA DO DIRIGENTE, UM SAFADO CHAMADO EURICO MIRANDA, QUE ACABOU COM A ESTRUTURA DO CLUBE.
MAS ISSO É BESTEIRA. ISSO PASSARÁ, INDO OU NÃO PARA A SEGUNDA DIVISÃO, O VASCO SERÁ O TIME DO AMOR. O TIME DA VIRADA. O TIME QUE PRIMEIRO ACEITOU PRETOS, E SOBRETUDO SERÁ O VASCO, O MEU VASCO, O MEU TIME.
video

sábado, 8 de novembro de 2008

LOBÃO TEM RAZÃO?






LOBÃO NÃO GOSTA DE CHICO BUARQUE, DIZ COISAS QUE NEM UM MARIDO TRAÍDO PELO CHICO, QUE O PEGASSE NA CAMA COM SUA MULHER PODERIA DIZER SOBRE O CARIOCA.
CHICO BUARQUE NÃO ESCREVE POESIA EM LIVROS, MAS É UM POETA DE FATO.

O que será? Que Será?
Que vive nas idéias
Desses amantes
Que cantam os poetas
Mais delirantes
Que juram os profetas
Embriagados
Está na romaria
Dos mutilados
Está nas fantasias
Dos infelizes
Está no dia a dia
Das meretrizes
No plano dos bandidos
Dos desvalidos
Em todos os sentidos
Será, que será?
O que não tem decência
Nem nunca terá!
O que não tem censura
Nem nunca terá!
O que não faz sentido...

BOM, SE ISSO NÃO É POESIA, O QUE É ENTÃO?
CHICO É UM QUASE-GÊNIO (É MARCELO, ACHEI UMA SOLUÇÃO LINGUÍSTICA GENIAL PARA DENOMINAR O CARA QUE ESTÁ MIL VEZES ACIMA DE MIM, E MIL OUTRAS ABAIXO DE SHAKESPEARE), ELE É O ÚNICO CANTOR DE MÚSICA POPULAR, QUE RETIRADA A MELODIA, O RÍTMO E A HARMONIA, SOBREVIVE. CHICO É FANTÁSTICO E FAZ VER QUE NELSON RODRIGUES ERROU AO DIZER QUE TODA UNANIMIDADE É BURRA, CHICO MOSTRA QUE NÃO, QUE HÁ GRANDES HOMENS QUE SÃO RECONHECIDOS EM VIDA.
LOBÃO FOI HOMENAGEADO POR CAETANO (OUTRO QUASE -GÊNIO, DIRIA QUE ESSE UM POUCO ACIMA DO BUARQUE, EM INTELIGÊNCIA, NÃO COMO LETRISTA E MÚSICO)EM UMA CANÇÃO CUJO TÍTULO É: LOBÃO TEM RAZÃO.
SE TINHA PERDEU, SE TINHA, AGORA NÃO MAIS.
QUEM É LOBÃO?
QUEM É CHICO BUARQUE?

Ela adora me fazerDe otárioPara entre amigasTer o que falarÉ a onda da paixãoParanóica!Praticando sexoComo jogo de azar...Uma noite ela me disse"Quero Me Apaixonar"Como quem pede desculpasPrá si mesmoA paixão não tem nada a verCom a vontadeQuando bate é o alarmeDe um louco desejo...Não dá para controlarNão dá!Não dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, bláBlá, blá, blá, bláEu te amo!Não dá para controlarNão dá!Não dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, blá... (Eu te amo)Sua vida burguesaÉ um romanceUm roteiro de intrigasPrá Fellini filmarCercada de drogasDe amigos inúteisNinguém pensariaQue ela quer namorar...Reconheço que elaMe deixa inseguroSou louco por elaE não sei o que falarO que eu quero é queEla quebre a minha rotinaQue fique comigoE deseje me amar...Não dá para controlarNão dá!Não dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, bláBlá, blá, blá, bláEu te amo!Não dá para controlarNão dáNão dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, blá, blá, bláBlá, blá, blá, blá...(2x)Não dá para controlarNão dá!Não dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, bláBlá, blá, blá, bláEu te amo!Não dá para controlarNão dáNão dá prá planejarEu ligo o rádioE blá, blá...


ESSE É O LOBÃO.





Súbito me encantou
A moça em contraluz
Arrisquei perguntar: quem és?
Mas fraquejou a voz
Sem jeito eu lhe pegava as mãos
Como quem desatasse um nó
Soprei seu rosto sem pensar
E o rosto se desfez em pó

Por encanto voltou
Cantando a meia voz
Súbito perguntei: quem és?
Mas oscilou a luz
Fugia devagar de mim
E quando a segurei,
gemeu
O seu vestido se partiu
E o rosto já não era o seu
Há de haver algum lugar
Um confuso casarão
Onde os sonhos serão reais
E a vida não
Por ali reinaria meu bem
Com seus risos, seus ais, sua tez
E uma cama onde à noite Sonhasse comigo
TalvezU
m lugar deve existir
Uma espécie de bazar
Onde os sonhos extraviados
Vão pararEntre escadas que fogem dos pés
E relógios que rodam pra trás
Se eu pudesse encontrar meu amor
Não voltava
Jamais



E ESSE É O CHICO.





AGORA ME CALO.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

LUIZ GONZAGA

video

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO, EM DIAS DE ELEIÇÕES NOS EUA, UM DIA DEPOIS DO VASCO MASSACRAR O FLUMINENSE, NO DIA EM QUE A POESIA ME ACENA COM UM ACENO AGRESTE, SECO, DE CAATINGA, NESSE DIA, ESCUTANDO LUIZ GONZAGA, O QUE NADA MAIS É DO QUE UMA LENDA, EU ME COMOVO. LUIZ GONZAGA, TRAZ NA VOZ TODO O LUGAR QUE AMO. UM NEGRO CANTANDO BLUES, DIZ ALGO A UM AMERICANO? O TANGO É ALMA DA ARGENTINA, COMO O FADO É A DE PORTUGAL? A BOSSA NOVA DIZ ALGO SOBRE A ZONA SUL CARIOCA, O FREVO DIZ ALGO DE PERNAMBUCO? CAETANO E GIL SE PARECEM COM A BAHIA? SIM, MAS NENHUM DESSES CASOS ACIMA PODE SE COMPARAR AO QUE GONZAGA REPRESENTA PARA SUA GENTE. GONZAGA É O LUGAR QUE CANTA, E COMO É TRISTE O LUGAR, É TRISTE O CANTAR.


O ÚNICO SANTO DE FATO. A IGREJA TEM CANONIZADA ATÉ ATEU, MAS GONZAGA NÃO. PORQUE ONDE ESTÁ GONZAGA, NÃO PODE ESTAR PIO XII, ONDE GONZAGÃO ESTIVER, DEUS ESTÁ PRÓXIMO. SE ALGUÉM O ACHA POUCO SOFISTICADO, NÃO SABE O QUE É SOFISTICAÇÃO, SE ALGUÉM NÃO GOSTA DELE, TUDO BEM, SE ALGUÉM RI DA MÚSICA DELE, É DIGNO DAS MÚSICAS QUE GOSTA. O VELHO LUA CUJO NOME LINDO É DE MEU PAI E DE MEU FILHO, ME COMOVE SEMPRE. NUNCA HOUVE UM CANTOR TÃO FIEL A PRÓPRIO, DIZ-SE QUE CAETANO É UM EXEMPLO DE ARTISTA PURO, QUE LEVA UM PROJETO PESSOAL ACIMA DA MERCANTILIZAÇÃO DA MÚSICA, PELO MENOS COMO PRINCÍPIO PRIMEIRO, É VERDADE, SE O BAIANO GANHA MILHÕES HOJE FAZENDO PROPAGANDA DE CARROS, ELE COLHE FRUTOS DE PROJETOS OUSADOS, PODE-SE DIZER QUE O MERCADO SE RENDEU A ELE, NÃO O CONTRÁRIO. MAS EM SE TRATANDO DE ARTISTA PURO, LIMPO E VIRGEM, GONZAGA É O MAIS DE TODOS.


QUANDO CANTA O NORDESTE, FALANDO DE UM VAQUEIRO ABOIANDO, PODE PARECER CÔMICO AO IDIOTA DESAVISADO, PORQUE TEM IDIOTAS CULTOS, ISSO SE SABE, MAS AO CARA QUE ACHA GRAÇA NOS ERROS DE PORTUGUÊS DO MESTRE LUA, EU DIGO QUE POUCOS SERES HUMANOS QUE PASSARAM POR AQUI E FORAM CHAMADOS DE MESTRE, SEM O SENTIDO RELIGIOSO DA PALAVRA, CLARO, O FORAM TÃO PROPRIAMENTE DENOMINADOS QUANTO O REI DO BAIÃO.