sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

ROBERTO CAMPOS

Não foi o populismo, as ridículas idéias defendidas ainda hoje, por uma esquerda burra, as decisões tomadas por nossos governantes ns últimos cem anos, muito menos nossa incapacidade de gerar um país razoável. Não foi, claro que não, nossa desorganização civil, econômica, nossa peculiaridade em criar leis que ninguém cumpre, de querer implantar aqui uma industria nacional, um espécie de vale do silício tropical, esboçado só no papo dos esquerdistas da “festiva”, e que paralisou por anos nossa entrada no mundo virtual. Está claro que nossas constituições (foram muitas) sobretudo a de 1998, que criou o primeiro país capitalista-socialista do mundo, onde se promete tantos direitos ao cidadão que termina por não se cumprir nenhum, constituição combatida por Roberto campos, que foi o melhor médico na avaliação da doença nacional, e por isso achincalhado por gente malandra, e que gosta de falar para “as massas”, que gosta de construir hospitais, não se importando se funcionarão ou não, que inaugura escolas sem biblioteca, que acha correto reajustar os próprios salários, que...., bom, Roberto campos, quem foi ele:?
Quem?
Ninguém sabe, ninguém lembra, ninguém viu.. não cai no vestibular, não é comentado por Arnaldo jabor, nunca é citado.
Por uma razão simples,: ele contraria a idéia idiota, medonha, inculcada , engendrada nas universidades brasileiras, que não são por assim dizer, um exemplo de livre-pensamento, nem de grande coisa acadêmica, de que o Brasil não é medíocre por culpa sua, mas por uma exploração de séculos.
Roberto campos, ninguém conhece., escreveu “a lanterna na popa”, quem fala de Brasil, baseado no que a esquerda pensa dele, deveria ler esse livro. E imenso, e tudo está lá, tudo mesmo. Décadas atrás ele defendia livre comércio, abertura econômica, importação de produtos que não poderiam ser fabricados aqui, abertura de mercado de capitais, enfim, era um capitalista, o que no Brasil parece xingamento.
Se o Brasil tivesse feito tomado os remédios prescritos pelo Dr º Roberto campos, hoje estaria curado, mas preferiu o caminho errado, a culpa é sua, de mais ninguém. Exploração houve, mas passou, há muito tempo, e se não somos grandes, azar o nosso, ou incompetência mesmo..

2 comentários:

Mirse disse...

Olá querido amigo!!!!
Bela e significativa postagem. Tenho e li livros e comentários de Roberto Campos.Ainda tenho em casa alguns, mas meu companheiro sempre se dise comunista, até que se falou em reforma agrária. Risos.
Roberto Campos - homem correto, que expunha idéias à luz do dia PARA UM bRASIL QUE DORMIA. Assisti belos discursos de Delfim Neto.... hoje me pergunto: porque será que idéias grudam no papel? Ecoam em salas repletas e voam para muito longe? Tenho as minhas respostas, pelos políticos que convivo e conheço. Mas é melhor deixar sua bela postagem.
Sonhemos!!
Beijos

Mirze

Moacy Cirne disse...

Meu caro:
Descobri seu blogue através do espaço de Hercília Fernandes (também sou seridoense, residindo no Rio). Gostaria de fazer um duplo comentário.
1. O seu PERFIL revelou-me uma pessoa completamente antenada com o melhor do cinema e da literatura. Entre os filmes citados, apenas "Ladrão de casaca" não me convence plenamente. De Hitch, prefiro "Vertigo" e "Janela indiscreta". No futebol, sou tricolor (frequentador assíduo do Maraca), mas torci - de verdade - a favor do Vasco contra o rebaixamento; a grandeza do Vasco o trará imediatamente à 1ª divisão, tenho certeza (no Rio, a rigor, só não tenho simpatias pelo Flamengo, mas não sou propriamente um antiflamengo). Em política, a nossa única posição antagônica: não considero Lula um imbecil, ao contrário, mas, claro, respeito o seu ponto de vista.
2. O blogue propriamente dito: numa primeira leitura pareceu-me interessantíssimo. Contudo, é preciso conhecê-lo melhor, com mais calma. Só assim terei uma opinião formada a respeito, a despeito de eventuais diferenças de opinião. A começar, já agora, pela sua avaliação de Roberto Campos.
Voltarei, sem dúvida.
Um abraço. E parabéns pelo espaço.