domingo, 15 de novembro de 2009

MEU PAI, MEU VELHO PAI.








ELE SABIA ONDE EU ESTAVA, COMO JOGAVA, COM QUEM IA, E O QUE PERDIA. MEU PAI, ELE SABE TUDO. MAS COMO NÃO SABERIA?
ELE ME DEU O RELÓGIO EMPENHADO, E TIROU O CORDÃO DO PESCOÇO, E DISSE: É SEU!
MEU PAI, MEU VELHO PAI. EU NÃO CHOREI , E ISSO ME ESPANTA.
ELE SABE DE MIM, EU SEI DELE, MEU PAI, MEU VELHO, QUERIDO E AMADO PAI. SABE, SOMOS VASCAÍNOS, E EU TENHO ORGULHO DELE, MUITO.
ELE DISSE QUE ERA MEU , EU SOU DELE. BOBOCA, ELE TEM CIÚMES DE MEU AMOR POR MEUS ÍDOLOS, ELE QUERIA SER ÚNICO NO MEU ADMIRAR. MEU PAI, VELHO E MAIS ÁGIU QUE EU, PORQUÊ ELE NÃO SOFRE DE MAL DE PARKINSON. SOFRE SIM, MEU VELHO UMA VEZ ME DISSE, NÃO COM A BOCA, COM A ALMA: “AINDA VEREI VOCÊ CURADO, MEU FILHO”.
MEU PAI, PARKINSON NÃO TEM CURA, EMBORA EU VÁ ME CURAR DE MAL DE PARKINSON.
MEU PAI, ELE É MEU PAI. VEIO ME DIZER:
EU TE AMO, PORRA, ENTENDE ISSO FILHO DA PUTA! VOCÊ DESTRUINDO SUA VIDA, DESTRÓI A MINHA.
MEU DEUS, PAI DE MEU PAI, ME DISSE: AGORA É HORA DA VIRADA!
O OLHAR TRISTE DE MEU PAI SOBRE MIM, COMO A LAMENTAR, COMO A SE FRUSTRAR, ME FEZ ARRANCAR DE MIM UM FOGO, UMA FORÇA, UMA DISPOSIÇÃO QUE EU NÃO TINHA, QUE SÓ ELE PODIA ME DAR.
O VELHO ME FEZ JOVIAL, O MEU PAI, AMADO COMO EU SÓ POSSO AMAR A ELE, IDOLATRADO COMO UM TOTEM, DOLOROSAMENTE, LINDAMENTE, COM TUDO QUE POSSO, COM O CARINHO QUE SOU CAPAZ.
OBRIGADO PAÍNHO, OBRIGADO PAIPATO, OBRIGADO MEU PAI. POR VOCÊ, PELO SEU CABELO, PELA SUA MÃO.
AMO VOCÊ, MEU JOVEM PAI.

2 comentários:

Mirse Maria disse...

Emocionante essa postagem!

Emocionante e real. Ninguém ama um filho mais que o pai, o verdadeiro pai.

À pessoas iguais à ele, que se pudessem dariam a vida pelo filho, me fazem crer na existência do Pai Eterno.

Linda sua postagem, Well, mas melhor seria que a lesse para ele.
Melhor ainda que seguisse os conselhos dele... e por aí vai!

Nem todos tem um pai desse. Ame-o e preserve-o de todo e qualquer sofrimento.

Parabéns!

Beijos

Mirse

Marcelo Novaes disse...

Wellington,



O olhar do pai que zela diz tanto que é quase alavanca para Deus.




Um grande abraço,








Marcelo.