domingo, 22 de novembro de 2009

PUTEIROS E LAN HOUSES

Acordo 20:30hrs de um cochilo milenar( não estou de bom humor, por isso, não enche!), olho em volta não vejo pitocudo, desço com a língua afiada, procuro na casa da avó..., nada. Iria chamar-lhe de falso, bicho feio, branco horrível, essas coisas (ia colocar os três pontos e a vírgula, não sei se estava certo antes, menos ainda agora), o branco não estava. Bom, procura-se um branco! Só havia dois lugares, a lan house, onde ele joga os jogos que tem em casa, em televisão menor, com três mil meninos gritando, mas que ainda assim prefere o antro, ou..., não, esqueçamos isso, ele é um criança.
Chego a lan house, está o pitocudo branco, em todo o seu reinado, jogando um jogo chamado guitar hero, com o controle dele, o cd dele, enfim, quase que pagando ao dono da lan house para ocupar o espaço. Em casa seria mais fresco, mais calmo, mais confortável, mais..., seria mais tudo, mas seria em casa. A quem esse menino saiu?
Fico esperando na frente da lan house, chega minha mãe. De onde vem a nobre senhora?
De um puteiro!
Calma ai, não sou nenhum filho da puta! Não literalmente, como querem muitos. Minha mãe nunca foi afeita a essas coisas, não por dinheiro. Ela vinha me informar que meu sobrinho estava no puteiro, em frente a lan house. Mas que diabos de bairro é esse, que puteiros e lan houses quase juntos?
Entenderam meu receio no começo?
Imaginem pitocudo equivocado entrando no puteiro? As meninas o devorariam como piranhas em um rio onde ele caísse, com sua carne morna e branca.
Começo a achar que minha família está meio Nelson Rodrigues, meio decaída, e tive ímpetos de ir ao puteiro e dizer a meu sobrinho: isso é lugar pra você!?
Não fui, claro. Por motivos óbvios.
Bom, eu tava até gostando de escrever isso, mas pitocudo chegou, mau humorado e com fome. Vou dar-lhe comida, uma tapa nos bumbum, um beijo e vamos conversar. Darei conselhos, direi só isso:
Não seja mal, não vote no PT, não veja televisão. Contarei algumas mentiras( a mais deslavada é que Michael Jackson era vascaíno) e dormiremos.

Um comentário:

Mirse Maria disse...

Tadinho do Pitocudo!

Como é sofrido!

Ótima postagem, onde o bom humor supera o inesperado que acontece sempre em nossas vidas!

Parabéns, Well!

Beijos

Mirse