sábado, 23 de agosto de 2008

HAMLET







HAMLET, É SIM O LIVRO DOS LIVROS, COMO SHAKESPEARE É SIM O ESCRITOR DOS ESCRITORES.


VENHO DE LER UM E-MAIL DO NOVAES (HERCÍLIA O CHAMAVA ASSIM, EU GOSTO DELA, ELA ME EXCLUIU DO ORKUT . SIGO GOSTANDO DELA ASSIM MESMO . PORQUE AS PESSOAS BRIGAM?), NO E-MAIL DO NOVAES TEM UM CARA (ADOREI O TEXTO DELE, QUE É VERDADEIRO, BEM ESCRITO, EMBORA NÃO COMPORTE MARCELO, QUE É UMA EXCESSÃO.)O CARA DEFENDE A TESE QUE NÃO EXISTE O "GÊNIO", "O ESCOLHIDO POR DEUS", O SHAKESPEARE REAL, QUE TUDO SE DEVE A UMA GLAMOURIZAÇÃO DA CULTURA EUROPÉIA.


EU NUNCA FUI ELITE DE ESPÉCIE ALGUMA, NÃO ADMIRO CULTURA NEM CONTINENTES, TAMPOUCO ACREDITO NO QUE VENHA CONDICIONADO A COLETIVIDADE. NO ENTANTO ATÉ HOJE NÃO ME APRESENTARAM UM ESCRITOR SEMELHANTE A SHAKESPEARE. FALO NÃO DE UM IGUAL , MAS SEMELHANTE. QUANDO OS CARAS VEM DIZER: "ELE NÃO FOI O TAL" EU QUERIA QUE ME MOSTRASSE (SERIA MARAVILHOSO) ESSE GRANDE ESCRITOR JAPÔNES, GUATEMALTECO, INDIANO OU DE ONDE SEJA , QUE SE EQUIPARASSE A ELE.


A SUPERIORIDADE É ENORME, NÃO HÁ COMPARAÇÃO. QUALQUER ESCRITOR, DE QUALQUER PAÍS, TEMPO, ESCOLA LITERÁRIA, O DIABO, SOME PERTO DELE.

QUANDO FALO DELE NÃO HÁ NENHUMA SUBMISSÃO A CULTURA EUROPÉIA, O QUE HÁ É A CONSTATAÇÃO DE QUE ATÉ HOJE NINGUÉM QUE EU TENHA CONHECIDO ESCREVEU IGUAL A ELE. NENHUM ESCRITOR TERIA OU TEM A CAPACIDADE DE ESCREVER HAMLET. O QUE INCOMODA EM BLOOM, É A VERDADE.

MIRSE DISSE QUE NÃO ENTENDE BEM HAMLET. BLOOM DISSE QUE LECIONA SHAKESPEARE HÁ DÉCADAS E NÃO O COMPREENDE POR INTEIRO.
EU LI UMAS VINTE VEZES O HAMLET, COM TRADUÇÕES DIFERENTES, VI QUASE TODAS AS PRODUÇÕES IMPORTANTES CINEMATOGRÁFICAS, (LAURENCE OLIVIER, KENNETH BRANAGH, MEL GIBSON, LI O "SHAKESPEARE: A INVENÇÃO DO HUMANO", ENSAIOS SOBRE HAMLET EU LI UNS 30, E SEMPRE PARA MIM É UMA COISA NOVA.
ISSO PARECE UJMA REPETIÇÃO RIDÍCULA E SEM ERUDIÇÃO DO QUE BLOOM ESCREVEU(E É), MAS HÁ QUE SE CONFERIR QUE OS SOLILÓQUIOS HAMLETIANOS SÃO SOBRENATURAIS, ANORMAIS, ELE SÓ DIZ FRASES DESCONCERTANTES, GENIAIS. A MAIOR DELAS, PARA MIM É: "NADA EM SI É BOM OU RUIM, NÓS É QUE MOLDAMOS AS COISAS ÀS NOSSAS CONVENIÊNCIAS", A FRASE NÃO É BEM ESTA,MAS O SENTIDO É.
HAMLET NÃO PODE (COMO FEZ BLOOM) SER COMPARADO A JESUS CRISTO, POR QUE CRISTO NÃO TINHA PRETENÇÃO LITERÁRIA, EMBORA O PRÓPRIO BLOOM, DIGA EM OUTRO LIVRO QUE JESUS PODERIA SOBRESSAIR-SE EM UMA DISCUSSÃO COM HAMLET( ELE FEZ ESSA AFIRMAÇÃO TÃO RIDÍCULA, QUE CHEGA A SER PUERIL.) , JESUS PARA MIM É O SALVADOR, SENÃO É ELE NÃO É NINGUÉM, OU ELE OU O ATEÍSMO. ABAIXO DE JESUS( ZILHÕES DE QUILOMÊTROS) EM SE TRATANDO DE INTELECTO SUPERIOR SÓ CONHECIDO POR LIVRO, HAMLET HUMILHA, ELE FALA DE QUASE TUDO, E NINGUÉM FOI MAIS FUNDO QUE ELE.

2 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Wellington,


Shakespeare foi um sujeito muito perspicaz. Ele traduziu nuances, ambivalências, os meandros do labirinto emocional-racional humano, de uma forma ímpar. É um grande leitor e apresentador do humano. Jesus é um ultrapassador do humano, que o exerga de dentro-para-além. Mesmo num debate dialético ( ainda que a prosposta soe bizarra, sem sentido ou pueril), Jesus, certamente, poria toda a astúcia e penetração psicológica Shakespereanas no chinelo. Criando impasses irrespondíveis. E apresentando assertivas e exemplos que a ultrapassariam de muuuito, muuuuito longe. Zilhões de vezes. Uma coisa é perspicácia e penetração psicológica geniais.Isso é Shakespeare. Outra coisa é transcendência disso tudo, QUE INCLUI E ULTRAPASSA ISSO TUDO!Esse é Jesus.


Um grande abraço,






Marcelo.

www.mirzesouza.blogspot.com disse...

Que bom, o que postou, Wellington ! Realmente a paródia de Hamlet, o grande drama, no todo, não dá para simplificar, e contar como uma estória. Daí a genialidade de Shakspeare, também deve ter tido esta percepção.É impossível narrar assim: aí Lady Macbeth.... entra a camareira.... Tentei e olha que sou ótima em resumir, mas não dá. O segredo realmente está no que voce disse. Há grandes pensamentos, onde se leva horas interpretando, mas é uma beleza, e há esse lado de não poder resumir, em todas AS PEÇAS DELE. Rei Lear também Não sei como é em portugues, Much Ado about Nothing, sim, muito barulho por nada, a comédia dos erros etc... Resumindo é impossível. Grande Wellington. Obrigada pela aula. E Obrigada Marcelo pela grandeza de comparação entre Shakspeare e Jesus Cristo que aos nove anos ensinava os doutores da lei. Tadinho!

Parabéns Wellington. Você conseguiu em poucos palavras me ensinar o muito que precisava. E obrigada, anigo.
Beijos

Mirze