quinta-feira, 26 de março de 2009

CHICO BUARQUE EXISTE?


JOSÉ SARAMAGO DISSE, NÃO FOI DIOGO MAINARDI, FOI JOSÉ SARAMAGO, QUE CHICO BUARQUE ERA UM GRANDE ESCRITOR.
EU LI ESTORVO, UMA OBRA-PRIMA, UM DOS MELHORES LIVROS QUE LI NA VIDA. BENJAMIM, VI O FILME, MUITO BOM, EXCELENTE.
CHICO BUARQUE ESTÁ ACIMA DE FERREIRA GULAR, E DE NOVENTA E NOVE POR CENTO DOS POETAS POSTOS EM LIVRO.
O ÚNICO COMPOSITOR DE MPB QUE PODE TIRAR AS MELODIAS DE SUA MÚSICA QUE ELE RESISTE, E BEM, COMO GRANDE POETA.


Súbito me encantou
A moça em contraluz
Arrisquei perguntar: quem és?
Mas fraquejou a voz
Sem jeito eu lhe pegava as mãos
Como quem desatasse um nó
Soprei seu rosto sem pensar
E o rosto se desfez em pó

Por encanto voltou
Cantando a meia voz
Súbito perguntei: quem és?
Mas oscilou a luz
Fugia devagar de mim
E quando a segurei, gemeu
O seu vestido se partiu
E o rosto já não era o seu

Há de haver algum lugar
Um confuso casarão
Onde os sonhos serão reais
E a vida não
Por ali reinaria meu bem
Com seus risos, seus ais, sua tez
E uma cama onde à noite
Sonhasse comigo
Talvez

Um lugar deve existir
Uma espécie de bazar
Onde os sonhos extraviados
Vão parar
Entre escadas que fogem dos pés
E relógios que rodam pra trás
Se eu pudesse encontrar meu amor
Não voltava
Jamais


QUANTOS ESTÃO HABILITADOS A ESCREVER ASSIM? POUCOS, QUASE NENHUM.
AS MÚSICAS DO CHICO SÃO DE UMA PERFEIÇÃO CABRALINA, SUA SENSIBILIDADE É DE ASSUSTAR.


Vai a onda
Vem a nuvem
Cai a folha
Quem sopra meu nome?
Raia o dia
Tem sereno
O pai ralha
Meu bem trouxe um perfume?
O meu amigo secreto
Põe meu coração a balançar
Pai, o tempo está virando
Pai, me deixa respirar o vento
Vento

Nem um barco
Nem um peixe
Cai a tarde
Quem sabe meu nome?
Paisagem
Ninguém se mexe
Paira o sol
Meu bem terá ciúme?
Meu namorado erradio
Sai de déu em déu a me buscar
Pai, olha que o tempo vira
Pai, me deixa caminhar ao vento
Vento

Se o mar tem o coral
A estrela, o caramujo
Um galeão no lodo
Jogada num quintal
Enxuta, a concha guarda o mar
No seu estojo
Ai, meu amor para sempre
Nunca me conceda descansar
Pai, o tempo vai virar
Meu pai, deixa me carregar o vento
Vento
Vento, vento



EM VERDADE VOS DIGO: QUEM NÃO ADMIRAR ISSO, NÃO ENTRARÁ NO REINO DOS CÉUS.






GÊNIO?
NO BRASIL DE HOJE É O QUE ESTÁ MAIS PERTO DISSO.

4 comentários:

Mirse disse...

Que LINDO, Wellington!
Me fazer cantar em murmúrio, às 5 horas da manhã, isso só voce consegue.
Concordo com tudo que disse, claro, óbvio!
Belíssima postagem do nosso Chico Gênio Buarque de Holanda!

Parabéns, pela escolha do "VENTO", AMO ESSA MÚSICA!

Beijos

Mirze

Se tiver tempo vá no meu blog e encontrará o blog LESADOS EM GERAL, que tem uma música do Caê que não conhecia. Chama-se Índio. Ou veja no You Tube!

Beijão

Mirze

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

MIRSE, QUE VERGONHA! TU NÃO CONHECIA "UM ÍNDIO"!?
ESTÁS ME SAINDO UMA FÂ MUITO RELAPSA PARA COM TEUS ÍDOLOS.
DEPOIS QUE LHE DEI UMA AULA DE CHICO BUARQUE, TEREI DE DAR OUTRA SOBRE CAETANO?

Moacy Cirne disse...

Um texto ótimo, meu caro.
Como ótima é a sua resposta à Mirze.
Em tempo: Não gostaria de participar da minha enquete no Balaio sobre a Seleção Brasileira de todos os tempos (indicando também o técnico ideal)? Pode selecionar jogadores emblemáticos, mesmo que não os tenha visto jogar ao vivo (é o que farei, "selecionando", por exemplo, Garrincha). Mas fica a seu critério, claro. Ah, sim: caso resolva participar, envie a sua mensagem para balaio86@oi.com.br
Um abraço.

Mirse disse...

Pronto, Well! Já está nos meus víddeos no ORKUT, O INDIO.
Óbvio que eu conheço e tenho até o disco, mas da maneira como ela falou, achei que era outra música nova....

Beijos para você, que retirou dois parafusos do meu cérebro...só porque tenho um neurônio a mais!

Beijos

Mirse