quarta-feira, 4 de março de 2009

MEU BOLO DO VASCO

NASCI NO RIO E SAI DAI COM 10 ANOS. AMO LOUCAMENTE PERNAMBUCO, NÃO IMAGINO MELHOR LUGAR PARA MIM.
O QUE ME CHEGA AQUI É A MISÉRIA DA VIOLÊNCIA DAÍ, HORRÍVEL E REAL. MAS TENDO A SER CONTRÁRIO A VISÕES DE FORA DAS CIDADES, PORQUE NÓS DO NORDESTE, SOMOS CARICATURADOS A CADA NOVELA DA GLOBO, A CADA DOCUMENTÁRIO DITO SÉRIO.
A IMAGEM DO RIO QUE TENHO É A DE MINHA INFÂNCIA. E MINHA INFÂNCIA FOI LINDA.
NÃO FALO DA BELEZA DA CIDADE PORQUE NÃO PRECISA E GIL JÁ DISSE TUDO, FALO DO QUE SALVA O RIO, DO QUE O REDIME, FALO DO TEMPO EM QUE EU ERA CRIANÇA E PASSAVA O DIA COM MEU PAI EM UM CARRO PRÉ-PRÉ-PRÉ HISTÓRICO, VENDENDO BOLO EM FAVELA.
FALO DE SOLTAR PIPA O DIA TODO, E FAZER UMA COM PAPEL BRANCO PARA SOLTAR A NOITE, FALO DE IR VER O VASCO JOGAR NO CARRO COM MEU PAI (PORRA! TÒ CHORANDO) E UM MONTE DE VASCAÍNOS. FALO DA TRAVESSA LAURINDA, FALO DE AOS SETE ANOS TER CHORADO AO OUVIR UM HOMEM CANTAR O SOFRIMENTO DE UMA CERTA GENI, QUE SALVAVA A CIDADE E ERA APEDREJADA POR QUEM SALVOU, E DESSE HOMEM, ANOS DEPOIS SER AMADO POR MIM, FALO MINHAS BRINCADEIRAS, DONA ZILDA, A MORTE DO PORCO, DE QUANDO MEU PAI VENDEU O CARRO E CHOROU, DE COMO EU O AMO E DE QUANTO O RIO FAZ PARTE DISSO. ROBERTO DINAMITE, GARRAFÃO, RICARDO, UM CARA QUE ESCOLHEU CAMINHOS ERRADOS NA VIDA, MAS ME ADORAVA, ME DAVA PIPAS, BOLA DE GUDE, ME DEFENDIA E TINHA UMA TATUAGEM,E MEU PAI DEIXAVA EU SOLTAR PIPA COM ELE E NUNCA ME DEU CONSELHO PARA NÃO FAZER O QUE RICARDO FAZIA, PORQUE SABIA QUE EU NÃO FARIA.
MEU BOLO DO VASCO, MEU DEUS! PORQUE EU´SOU TÃO IDIOTA PARA CHORAR LEMBRANDO ISSO. MEU BOLO DO VASCO! A ELE DEVO O QUE TENHO DE BOM. SE NÃO FOSSE O BOLO DO VASCO EU NÃO GOSTARIA DE POESIA. TALVEZ FOSSE UM ASSASSINO.
MEU PAI NUM TEMPO RUIM, NO MEU ANIVERSÁRIO, MANDOU DONA ZILDA(LÁGRIMA É SALGADA, DEVIA SER DOCE) FAZER UM BOLO DO VASCO PARA MIM. DIAS ANTES EU ESCUTEI ELE DIZER PARA MINHA MÃE QUE HAVIA VENDIDO O CARRO E QUANDO O DINHEIRO ACABASSE IRÍAMOS EMBORA, DIAS DEPOIS O BOLO. MEU PAI DIZENDO QUE ESTAVA PERDENDO A FÉ EM DEUS POR NÃO ARRUMAR EMPREGO, E EU CHORANDO NO QUARTO COM RAIVA DE DEUS POR ELE DEIXAR MEU PAI PERDER A FÉ NELE, NÃO PEDIA UM EMPREGO PARA MEU PAI, PEDIA QUE DEUS DEVOLVESSE A FÉ QUE ELE TINHA, E SE DEUS NÃO DEVOLVESSE EU FICARIA DE MAL COM ELE. ENTÃO MEU PAI ME DEU MEU BOLO DO VASCO, CHAMEI MEUS COLEGUINHAS E TODOS COMEMOS. MAS O MEU BOLO NÃO PÔDE SER COMIDO, NEM PODERÁ, POR QUE NINGUÉM PODE COMER O AMOR.
PARABÉNS, CIDADE DE DOR, MAS LINDA, E QUE ME ENSINOU A AMAR.

2 comentários:

Mirse disse...

Meu amigo querido! O Rio é lindo sim, tão lindo que fez vibrar em seu povo, gente como você. Só vejo a violência do Rio através da Globo, nunca fui assaltada etc... Assim como deturpam a vida de quem mora aí, esquecendo que os maiores gênios são do nordeste. Aqui é só amor e contemplação. Por isso suas lembranças se transformam em lágrimas (doces), porque tudo aqui é festa. E quando há miséria chamam de miséria colorida. (pintem a favela, façam aquarela, da miséria colorida)
O time do Vasco só perde em torcida para o Flamengo. O Vasco é vitorioso nas ruas do Rio. Todos vestem a camisa, enchem os ônibos e vão para o Maracanã. É lindo ver isso, aí vem um flagrante de uma única pessoa que foi assaltada na porta do Maracanã, e é isso que passa na TV.
Estou feliz por saber que carioca como é, tem um humor apurado e vai entender o que estou dizendo.

Beijos, amigo!

Fica com Deus!

SORRIA, VOCE É DO RIO!!!

Beijos

mirze

Moacy Cirne disse...

Bela homenagem, meu caro. E eu, que nasci em pleno sertão do Seridó potiguar, amo o Rio como amo a minha terra. De resto, como tricolor, rendo igualmente homenagem à paixão que você tem pelo glorioso Vasco, de tantas e tantas tradições.

Abraços.