quinta-feira, 23 de julho de 2009

MÃE DO ANJO

Havia a mãe sofrida de uma criança natimorta, e o não-poeta que tolhido em seus movimentos, achava lindo o filho dela. E o não- poeta, embora se pretendesse frio, como um poeta de diamante ou cacto, sangrava à dor dela. Ela sofria uma dor intensa, ninguém podia mais que ela a dor dela, mas o não-poeta sentira o peso de não ser poeta, mas sentir as dores alheias com tal intensidade, com tal vínculo ao que não se prende a ele, que melhor seria não ser um não-poeta, nem poeta, não ser nada.

E ela, que fora mãe de fato, embora não achasse, desiludia-se com a não companhia do anjo, com sua não realização de colo, de peito, de lavar fraudas. E ela se esquecia, e isso ela talvez nem tenha atinado, que lavar fraudas é passível a mim, dar à luz não.

E o não-poeta se aflige em dizer que não existe não-mãe, ou ex- mãe, ou mãe mal sucedida, ninguém é mais mãe por ter um filho com 30 anos. Se o teu não ficou contigo, paciência, Deus saberá porque, não cabe a ti a causa, nem ele te deve satisfação de pegar de volta o que era dele. Mas para que o nada existisse, e a consciência adquirisse corpo, ainda que por horas ou menos que isso, Foi preciso teu ventre, tua carne, você.

Deixo de ser pai quando não estou com meu filho? Ou sou menos pai? Ou um meio pai?

Não, definitivamente não!

A mãe pensa, triste, melancólica: -fácil dizer isso, o teu está com a mãe, te beija e você sente ele, e eu não tenho isso.

Ai lamento, fico com raiva de mim, de ser um não-poeta, porque eu enfeitaria as palavras, as confeitaria e as dava a mãe, que acha que não é mãe. E veja que curioso, eu, um não- poeta, tentando acarinhar a mãe, que acha que não é, mas é, eu queria não achar-me poeta e ser, como sei que não sou, respondo a minha questão, posta por mim, e respondida por mim.

Eu não deixo de ser pai quando meu filho está com mãe, é fato. Mas você deixa de ser mãe quando teu augusto está com Deus?

A diferença é que o meu, estando com a mãe, pode vir final de semana . Você terá que ir ao encontro do teu, ninguém o trará de volta, se quer vê-lo, terá de ir ao céu. Porque ele, TEU FILHO, está lá, e te quer ver, te beijar, te dar o consolo de que precisas. A mãe do anjo entristeceu a ele, e ele ficando triste,entristeceu o Pai, que usou o não-poeta para dizer a mãe que acha que não é, que reze, redobre a fé, porque a fé dela contagia, e fez do não-poeta, um ser melhor, e que se quiser ver o filho que ela insiste em achar que não tem, terá ter fé, ir ao encontro dele.

7 comentários:

Mirse disse...

O negócio aqui hoje tá meio confuso.
Se uma criança, não nasceu, apenas foi consebida, o que aconteceu? Para a mãe sofrer a perda de um filho , ele precisa nascer, mesmo sendo feto.
E toda mãe que vê seu filho, mesmo feto, nascer e morrer, óbvio que sofre, mas se conforma.

Nunca sei de quem fala. Mas no meu caso por exemplo, meu filho nasceu, viveu tres meses e morreu. Na época sofri. Depois não.Creio que a vida é uma coisa absurda, e aqueles que Deus escolhe para viverem pouco ou até nem viverem, tem uma pre determinação divina, não cabível a nós humanos entendermos. No meu caso, eu acho que ele está melhor com Deus do que comigo.
"Deus leva para si o melhor entre nós".

Bem é muito difícil explicar a um homem, poeta ou não o que sente uma mãe. Não, não é difícil, é impossível!

Se não entendi, poste outra vez de forma tão clara que uma pessoa simples como eu, possa entender.

Beijos

Mirse

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

MIRSE, VOCÊ ESTÁ CERTA, OU ESTAVA POR QUE JÁ CORRIGI. MÃE DE UM FILHO NÃO NASCIDO NÃO DÁ. TROQUEI O NÃO NASCIDO PELO NATIMORTO.
VEJA SÓ, EU ERREI, VOCÊ ACERTOU. TUDO BEM, MAS DESCONTO NAS MÚSICAS DO CHICO. ALI VOCÊ NÃO GANHA NUNCA. BEIJOS.

LU disse...

Como é bom estar sempre perto de quem admiramos e amamos, falar sobre a nossa vida sem reserva e gastar tempo com essa pessoa sem outras preocupações.

VOCÊ É ESSA PESSOA, WELLINTON! E mesmo sendo chato, arengueiro e brigão, eu o tenho com muito carinho em meu coração.
Deus me deu a benção de gerar um ser...pequenino, indefeso e lindo...meu tão esperado filho Augusto Gabriel, nome escolhido em homenagem a sua avó materna Augusta e ao anjo Gabriel, anunciador do nosso Salvador. Mas, de fato nunca imaginei que ele nasceria pra ser um anjo de Deus, o meu intercessor.

O Senhor o levou mesmo antes de me dá alegria de ouvir seu choro, sentir sua respiração em mim. Não tive o prazer que muitas mães tem! Mas isso, não me impediu de continuar sendo mãe e vc Well, tem razão de sempre me lembrar a mãe que fui e que sou.

E te digo, a Mãe da Divina Providência, providênciou VOCÊ, Wellington, para me consolar e me confortar nos momentos mais difíceis. Pra ser o poeta que sempre sonhei ter em minha vida.

ENGRAÇADO AS OBRAS DE DEUS!

Por isso em qualquer que seja a situação, o louvo com todo o meu amor e gratidão, porque com Jesus tudo é possível.

Amo suas poesias e seus textos, há uma admiração em cada palavra, prinipalmente quando direcionadas a essa sua amiga-mãe, pequena no tamanho, mas com o coração imenso de amor que cabe vc tão grande dentro. kkkkkkkk

Beijos, Well!

Ah!
Mirse, querida por ser amiga de Well, a pessoa que ele sempre se refere, sou eu...Lucilene, mas conhecida por Lu.
Beijos a vc tb.

Mirse disse...

Ah Ah Ah

Tenho que rir, porque quem ganha sempre sou seu, nas músicas do Chico!
Errou de novo.

Lu, obrigada por esclarecer. Well economiza em palavras o que gasta em idéias e genialidade. è um prazer conhecer alguem que ele tanto ama.

Beijos aos dois Mirse

Mirse disse...

Agora vai ser ao vivo:

Continue....

Minha filha, eu desejo pedir seu perdão....

Dica: Ópera do Malandro

AH AH

Beijos

Mirse

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

MIRSE, NÃO APELA. A ÚNICA MÚSICA QUE VOCÊ CONHECIA DE CHICO E EU NÃO, FOI ESSA, QUE VC FICA REPETINDO.
EU GANHO SEMPRE.

Mirse disse...

Fzer o que?

Tenho discos do Chico em Vinil com faichas arranhadas pela ditadura, e neles há segredos, Wellspeare!

Vou passar toda a letra para você por e-mail. Se quiser, claro.

Beijos

Mirse