quarta-feira, 10 de março de 2010

ANACONDO BRANCO

POSSO TE VER TODA NOITE,
INDA QUE NÃO ESCUTE TEU SONO.
POSSO VER TEU RISO, VER VOCÊ NÃO TE OLHANDO, OU OLHANDO PRA DENTRO, OU MAIS QUE ISSO, OLHANDO DENTRO DO NADA, ONDE É SÓ ESCURIDÃO E O OLHO E OLHAR PERDEM SUA FUNÇÃO. DENTRO DO ESCURO, DO BREU MAIS EXTREMO, ONDE O PRÓPRIO SER PERDE A FUNÇÃO, O SENTIDO. ESTOU ALI, ESTAREI SEMPRE QUE EU PRECISAR PARA QUE EU RESPIRE, OU QUANDO VOCÊ QUEIRA RIR, OU ESTEJA SEM SONO. SIM, BRANCO, É DE LÁ QUE TE TRAGO AS HISTÓRIAS QUE GOSTAS, TEM MEDO E RIS, NESSE LUGAR ONDE SÓ OS DROGADOS VÃO, E VOU SEM DROGAS, VOU CARETA, PORQUE PRECISO LEMBRAR O QUE VEJO E OUÇO, PRA OUVIR TEU RISO, SENTIR TEU MEDO, E ESTAR COM PAZ EM MIM.

Um comentário:

Mirse Maria disse...

Lindo e metafórico!

". DENTRO DO ESCURO, DO BREU MAIS EXTREMO, ONDE O PRÓPRIO SER PERDE A FUNÇÃO, O SENTIDO"

O orgulho e o Amor de um pai!

Parabéns, meu POETA!

Beijos

Mirse