quarta-feira, 29 de outubro de 2008




Inverno cubista





MARCELO NOVAES





Sua postura faz lembrar,
agora, o debater-se de um
animal ferido,
o coração
acossado por
esporas.
Uma espessa cortina
à frente, e ele andando e
dobrando os cotovelos,
em gestos cubistas,
àdiante,
como se
tivesse as asas
quebradas,
e se curvando enquanto
desce a encosta,
e encolhendo os
braços como se
fosse pássaro.
Sua sombra não voa, nem
esremece,
mais se parece
com um brutamontes negro
contra o horizonte.
Cúmulos-nimbos
pairam,
nuvens encapeladas
cobremseus sonhos de lã amarelada.
Como se um navio singras
se
sobre a alma gentil eencarquilhada.
Como se a estrela-má-dos-navios sobrevoasse
suas órbitas insones,
escuras,geladas.
Ele encolhe os braços, como
pássaro aninhando filete
d'água, e se contorce
como gaze atingida
pelo breu dasnuvens.
Ele sabe o que são
os corvos num
campo detrigo.
Ele sabe o que é o céu escuro
escuríssimo,
no prenúncio datempestade.
Ele sabe o que é o brio,
o turbilhão, a cordilheira.
Ele sabe que o alvorecer traz
cores novas, derrama uma
carroça de cores sobre a
terra.
O alvorecer é pródigo e não
se deixa abater por gestos
cubistas, desvios de caráter
ou embaraços mentais.
As feéricas cores da criação
chamejam sobre tudo, seus
fios de cabelo, vales e
altiplanos.E, de repente, o que era infinito
e negro bisão no horizonte,
se transforma no mais
límpido cinza matinal.
A luz do inverno não encabulaos
acostumados à lua, daí ser
estação modesta,
quando não
neva ou venta demais.
Ele abre as mão aninhadas em
concha, lentamente.
E onde haviafilete úmido,
voa uma ave, piandoo findar da noite.
O dragão é o guardião da
montanha, e seu hálito
dispersa as
nuvens.


SE ISSO É BOBAGEM, QUE NOME DOU AO QUE LI NO BLOG DO IDIOTA DIOGO BERNI?

Um comentário:

Mirse disse...

Lindo, Wellington. Não sei quem é o Idiota, mas se você falou, tá falado.

Beijos amigo, e pontaria baixa!!!!

Mirze