sábado, 25 de abril de 2009

A DRI ARRASA!

ADRIANA COELHO


POR ÁGUA ABAIXO

ainda estou aqui sem saber começar
porque não me acostumei com as metades
nem com os inteiros
quando me dou conta estou perto do fim
ou depois do meio [no meio de mim]
onde todos os caminhos se extinguem
e as pedras servem melhor aos estilingues
haja pulmão para tanto oxigênio
e hidrogênio quando falta o ar
na tentativa de vir à tona na hora errada
o sol a pino, o pino da granada,
a pressão, a queda
a verdade liquidada
[onde há campos minados
e nenhum verso seguro
ou se ouvem as explosões
ou apenas os soluços]

4 comentários:

Moacy Cirne disse...

Adrianna sempre arrasa!

Um abraço.

Mirse disse...

Adriana, repito o Moacy, sempre arrasa! E tal maneira e com tamanha alma poética, que emociona!
è uma das melhores, na minha opinião.

Bela postagem Wellington!

Beijos

Mirse

Marcelo Novaes disse...

Well e meus caros,




A moça domina a arte!




Abração,




Marcelo.

Adrianna Coelho disse...


well, desculpa a minha demora para vir aqui...

vc sabe, eu com minha vida mansa de contadora (e não de gata), esbarrei com o LEÃO em abril.

agora estou aqui, agradecendo a vc, por me considerar assim, e sabendo que vc não tem papa na língua (dos dedos), um elogio seu vale muito para mim.

aproveito tbm para agradecer o meu amigão, moacy; o meu amor, marcelo e a mirze (um dia nos esbarramos nesse rio, espero).

beijos!

p.s. não foi ruindade, viu.